3 passos para manter a limpeza do violino

Por: Ale Cunha – Violinista da OSUSP

O verniz está para o violino como a pele está para o nosso corpo, porque ambos têm a função de proteger e isolar o conteúdo interno do mundo exterior. Ao longo do processo de envelhecimento e amadurecimento do instrumento, o verniz tem papel decisivo na qualidade do timbre. Ele é o DNA do som – assinatura sonora exclusiva de cada instrumento – além de ter também a função estética importante de ressaltar a beleza da madeira. Por estes motivos resta evidente a necessidade de atenção aos cuidados com a limpeza e manutenção do verniz. O vídeo demonstra o processo em três situações distintas:

 

1) Sempre após tocar

Com um Pano seco (microfibra de preferência*) remova o excesso de breu do corpo, braço, espelho etc. O breu** tende a se acumular até um ponto em que será muito difícil removê-lo. Para preservar o verniz, portanto é necessário que este simples gesto se torne um hábito: escovar os dentes, fazer escalas e passar um pano depois de tocar! Depois de algum tempo esse paninho ficará saturado de breu, perdendo sua capacidade de removê-lo. Neste caso é só lavá-lo com sabonete neutro, deixar secar e pronto!

 

2) A cada 3 ou 4 meses

Aplicar um removedor de breu e polidor que permitirá remover o breu e o suor que estão mais entranhados, além de criar uma película protetora no verniz que vai prevenir que mais breu se acumule.

Alertas: Essa etapa é aconselhada àqueles que possuem instrumentos profissionais e que se sintam confortáveis em fazê-lo. Teste sempre numa faixa lateral ou numa área mais escondida como seu verniz vai reagir ao produto. Alguns vernizes são tão delicados que podem ser removidos nesse processo. Especialmente na região dos FFs, é muito comum trincas causadas por imperícia na hora de limpar. Já o fundo suporta uma pressão maior (madeira dura) enquanto que o tampo é muito delicado.

 

3) Uma vez por ano

Levar o instrumento ao seu Luthier de confiança. Além do check-up completo, colagens, cravelhas, cavalete e etc…, um polimento profissional vai garantir a longevidade do verniz e do seu instrumento.

Finalmente, se hoje temos o privilégio de ver e ouvir obras primas construídas por Antonio Stradivari e Guarnieri, algumas com mais de 300 anos e de aparência e saúde impecáveis, foi porque muitos antes de nós entenderam o quanto era importante preservá-las. Sob esse ponto de vista ninguém é verdadeiramente proprietário de um violino, ao contrário, ele nos concede o privilégio de dividir a vida enquanto fiéis depositários, e é nosso dever entregá-lo ao próximo músico tão bem quanto ou melhor do que o recebemos.

* A preferência pelos tecidos que não soltam fios se dá uma vez que estes não enroscam nos afinadores, cavalete e bordas minimizando risco potencial de acidentes. Pelo mesmo motivo o algodão utilizado na limpeza deve ser do tipo compactado, fácil de ser encontrado em qualquer farmácia.

** Está disponível no mercado hoje, breus que têm a preocupação de manter o necessário atrito com a corda sem entretanto produzir muita “poeira”. São também os que terão a melhor qualidade de som, diminuindo sobremaneira o ruído branco, que encontra no breu e na crina seus principais causadores.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial